Formação
26.Mar - O mistério da melodia única
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
O mistério da melodia única

Nossa vida é marcada por encontros desde que foi concebida. O encontro do desejo de Deus e os pais geram uma vida. Esta vida é impulsionada por vários outros encontros: o ar que se encontra com os brônquios dos pulmões para gerar o oxigênio. Este, por sua vez, encontra-se com o sangue nutrindo todo o nosso corpo. Vivos, podemos nos encontrar com as pessoas, com o mundo, com Deus... É então, que nós, estando presente em nós mesmos, podemos estar presentes para o outro (J. P. Ribeiro). Esta presença, que surge de uma profunda apreciação e contemplação da obra de Deus que somos, tem o poder de, ao encontrar-se com o outro, ser fonte de cura. É o que Martin Buber diz: “a cura pelo encontro”.


Infelizmente, vivemos em um século marcado pelo ativismo e pela superficialidade das relações. O outro, na maior parte do tempo, é apenas um meio para que eu atinja meus objetivos. Esquecemos que antes de tudo, este outro é PESSOA. É gente! É presença... E perdemos a oportunidade de ENCONTRAR com essa presença única, singular, irrepetível. Ficamos então como um ponteiro que não se encontra a hora certa; como um trem que nunca passa pela estação; como um raio de sol quando não se encontra com as águas do mar formando um belho espelho; como uma canção não escutada; um pintura não contemplada; uma poesia que não encontra uma presença que lhe perceba o sentido.


Perdemos a oportunidade de escutar as mais belas canções que a cada encontro, pessoa a pessoa, se revela. O encontro é o mistério que surge como uma melodia que será tocada apenas uma vez. Quem irá escutá-la? Quem tem tempo para escutá-la? Como disse nosso querido padre Zezinho em sua música “vocação”: “são muitos os convidados, [mas] quase ninguém tem tempo”.


Entretanto, mesmo em meio a tal século quase que desprovido de solos férteis que favoreçam o encontro entre as pessoas, nossa essência nos pede ansiosamente pela face do outro. Pela face que nos faz dizer juntamente à Buber: “O que fazer quando estamos desesperados e, mesmo assim, procuramos outro homem? Certamente uma presença, por meio da qual somos informados de que, apesar de tudo, há significado”. (Martin Buber)


Sim, amado(a) irmão(ã), ao contrário de boa parte do mundo atual, temos em nós um espaço fértil para o encontro. Espaço que muitas vezes fechamos devido às decepções, frustrações, mágoas, ressentimentos... Felizmente, para cada fechamento em si mesmo, nasce um novo convite à abertura. Qual será sua resposta? Qual sua resposta a estas presenças em melodia que estão a sua volta que tem o nome de Deus, ou do pai, mãe, irmão(ã), esposo(a), filho, amigos, conhecidos (...), pessoas? Que tal ouvir esta bela e irrepetível melodia tocada para você?


Fonte: Thiago Andrade - Missionário Nova Aliança

Indique a um amigo
 
NEWSLETTER: Informe o seu e-mail para receber as nossas novidades
Contato
  • ESCRITÓRIO

    Avenida Miguel João, 463, Anápolis/GO - Centro

  • (62) 3943-5555


  • Ou

    CEP: 75020-360

  • Dúvidas, críticas e sugestões
  • A sua opnião ajuda a construir um serviço de qualidade. Por isso, envie-nos suas sugestões, críticas e elogios ou dúvidas.

  •  

    Copyright © 2017 Comunidade Católica Nova Aliança. Todos os direitos reservados.