CONTEÚDO
Notícias
 
29.Jan - Início do ano escolar: como torná-lo mais agradável
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -

Confira algumas dicas para viver bem esta etapa, um verdadeiro desafio para os filhos e também para os pais


 
É comum ver cenas de choro e birras nos primeiros dias de aula das crianças. Mas algumas delas vivem esta mudança com grande naturalidade e se adaptam facilmente à ideia de passar várias horas ao dia longe do seu lar e daqueles que cuidam dela.

As birras dos primeiros dias de aula se devem ao trauma da separação e isso é normal. Essa primeira separação é uma experiência ingrata, especialmente porque gera grandes temores em pais e filhos.

“O medo do desconhecido é um medo natural que sempre produz angústia. Esta situação sempre vai acontecer e não é negativa nem censurável. O ruim é não saber como enfrentá-la”, afirma a psicóloga María del Rosario Concha.

A dor da separação pode ser menor se os pais preparam o filho e lhe falam sobre a conveniência de frequentar a escola. “Usando algum conto, uma mãe, por exemplo, pode mostrar ao filho que, indo à escola, ele encontrará amigos, brincadeiras, atividades novas e divertidas. Isso poderá tranquilizá-lo e diminuir a dor de sair de casa”, diz Rosario.

Da mesma forma, é muito importante levar a criança várias vezes para passear na instituição antes do início do ano escolar, para familiarizá-la com as instalações e professores. Assim, a criançaverá como é o ambiente e o início das aulas será menos estranho.

O psiquiatra Felipe Quiroga adverte que, quando se dá uma angústia exagerada pela separação, é preciso ver se há algo que não está funcionando bem. “Por exemplo, algumas criançasimaginam que, se forem ao colégio, um dos seus pais as abandonará, ou pensam que sua presença é indispensável em casa para manter os pais unidos.”

“Outro problema tem a ver com a ansiedade que algumas crianças desenvolvem devido a que seus pais são muito inseguros e veem perigo em todos os lugares, ou porque são superprotetores”, explica.

Além disso, pode acontecer que, durante o trauma da separação, ressurjam sintomas regressivos, como fazer xixi ou cocô nas calças, chorar mais do que de costume, chupar mais o dedo etc. Alguns especialistas consideram que estas regressões são normais e desaparecem quando a criança recebe a ajuda necessária para vencer seus medos.

Para que a angústia da separação seja o menos traumática possível, os especialistas dão algumas dicas:

- Acompanhar a criança por um tempo durante os primeiros dias de aula. O professor orientará os pais para que comecem a deixar a criança sozinha aos poucos; mas este processo não pode se prolongar demais, para que a separação não seja tão angustiante para ambos.

- Despedir-se sempre da criança. É conveniente explicar-lhe que ela estará na escola e que voltarão para buscá-la, mostrando sempre tranquilidade no rosto e nas palavras.

- Procurar sempre ser pontual e, assim, evitar que a criança se sinta abandonada.

- Deixar a criança levar à escola algum objeto que tenha conotação afetiva para ela, para que sirva de transição entre a sua casa e a escola. Isso a ajudará a sentir-se mais segura e, ao abraçar o objeto, sentirá o calor do seu lar. À medida que se sentir mais segura e for conquistando mais autonomia, chegará o momento em que ela mesma decidirá deixar o objeto.




sources: LaFamilia.info


Indique a um amigo
 
NEWSLETTER: Informe o seu e-mail para receber as nossas novidades
Contato
  • ESCRITÓRIO

    Avenida Miguel João, 463, Anápolis/GO - Centro

  • (62) 3943-5555


  • Ou

    CEP: 75020-360

  • Dúvidas, críticas e sugestões
  • A sua opnião ajuda a construir um serviço de qualidade. Por isso, envie-nos suas sugestões, críticas e elogios ou dúvidas.

  •  

    Copyright © 2019 Comunidade Católica Nova Aliança. Todos os direitos reservados.