CONTEÚDO
Notícias
 
07.Jul - Junho não foi só festa junina, sabe porque?
Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -
Junho não foi só festa junina, sabe porque?


Junho não foi só festa junina, sabe porque?   


Além de ser um mês o qual todos se preparam para as grandes festas juninas, é o mês dedicado a alguns Santos da Igreja Católica. Nesta matéria iremos citar três grandes Santos; São João Batista, Santo Antônio e São Pedro. 



 São João Batista 

No mês de  junho comemoramos a natividade de São João Batista. Ele é um dos santos mais importantes de nossa Igreja, pois o próprio Jesus disse sobre ele: “Em verdade vos digo, entre todos os nascidos de mulher não surgiu quem fosse maior que João Batista” (cf. Mt 11,11a).

Além de Nosso Senhor Jesus Cristo, e da Virgem Maria, São João Batista é o único que a Igreja celebra o dia de seu nascimento, por tamanha importância e grandeza de sua missão. Ainda no ventre de sua mãe Isabel, que o concebeu na velhice, por milagre e desígnio do Pai, ficou cheio do Espírito Santo quando recebeu a visita de Jesus ainda no ventre de sua santíssima mãe, a Virgem Maria (Cf. Lc 1,39-45). Sua vida foi de muita simplicidade, humildade e penitência, convocando o povo à conversão e batizando-o nas águas para que fosse purificado de seus pecados. Mais tarde teve a honra de batizar o próprio Cristo (Cf. Mt 3,13-17), que santificou as águas para que pudéssemos, também nelas, sermos batizados no Espírito Santo e nos tornarmos filhos de Deus. Se dedicou a anunciar a chegada do Cristo e salvador Jesus do qual ele declarou: “Eu vos batizo com água, para a conversão. Mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu. Eu não sou digno nem de levar suas sandálias. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.” (Cf. Mt 3,11) Dizia ele: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as veredas para ele” (Cf. Mt 3,3); e também anunciou a respeito de Jesus: “Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” (Cf.Jo 1,29b)


Assim como João Batista deu testemunho de Jesus quero também testemunhar que este santo fez parte de minha história desde o meu nascimento. Quando fui batizado, com apenas 1 mês de vida, meus padrinhos foram meu avô Antônio (Nico) e minha avó Angelina (Zinha), e minha avó sempre me dizia que no dia de meu batizado ela havia me consagrado a São João Batista dizendo: “Que seja santo como São João Batista foi santo”. Estas simples palavras de minha falecida avó escondiam um misteriosa missão: aos 19 anos vivi minha experiência de conversão através de uma palavra deste grande santo que dizia: “O machado já está posto à raiz das árvores. Toda árvore que não der bom fruto será cortada e lançada ao fogo.” (Mt 3,10). Estas palavras de João Batista mudaram o rumo de minha história, pois eu me encontrava naquele momento como quem não fazia nada pela construção do Reino de Deus, nem pela minha própria salvação e muito menos pela salvação do outro. Percebi a grande necessidade de mudança de vida e de trabalhar para dar frutos para Deus se não quisesse ser cortado e lançado ao fogo como uma árvore seca. A partir desta resposta a Deus tive uma forte experiência com o seu amor e recebi a missão de anunciar esse amor pelo mundo afora. Mais tarde o Senhor me deu a conhecer a vocação ao sacerdócio que o próprio Deus me inspirou como lema sacerdotal outra passagem sobre a pessoa de São João Batista: “Prepararás o caminho do Senhor dando ao seu povo conhecer a salvação” (Cf. Lc 1, 76-77)

Que São João Batista continue a interceder por nós para que possamos sempre testemunhar que Jesus é o nosso Deus e salvador, o cordeiro que tira o pecado do mundo!

São João Batista, rogai por nós!




Santo Antônio e o milagre do pão!


Entre os Santos comemorados durante o mês de Junho, destaca-se Santo Antônio, que é fonte abundante de Cristo e do Evangelho. Nessa fonte multidões de fiéis se inspiram para uma vida cristã mais plena. Muitas são as devoções voltadas a Santo Antônio, mas uma bastante interessante é o “Milagre do Pão”, também conhecido como “O pão dos pobres” ou O “pão de Santo Antônio”. A história do "Pão de Santo Antônio” remete a um fato bastante curioso: Antônio comovia-se tanto com a pobreza que, certa vez, distribuiu aos pobres todo o pão do convento em que vivia. O frade padeiro ficou em apuros, os pães tinham sido ‘roubados’, era o que ele dizia, atônito, quando foi procurar Santo Antônio, que o mandou que verificasse melhor o lugar em que os tinha deixado. O Irmão padeiro voltou exultante de alegria e também sem entender: os cestos transbordavam de pão, tanto que foram distribuídos aos frades e aos pobres do conventoMantendo essa fé e devoção que ate hoje durante a festa de Santo Antonio muitos buscam pelo Pão bento pelo sacerdote. Na devoção popular o “pãozinho de Santo Antônio” é colocado, pelos fiéis nos sacos de farinha, com a fé de que, assim, nunca lhes faltará o de que comer. Mas vale ressaltar que muito mais que um simples simbolo ou uma lenda da origem do “Pão de Santo de Antônio”, o que importa é a riqueza dos seus ensinamentos, pois o pão simboliza fraternidade, dar graças, ser generoso, pensar no bem comum, promover vida, nos ajudando a sermos mais cristãos. Pois por meio de Santo Antônio, Jesus esta nos convidando a voltarmos aos pobres, amar ao próximo.                          



São Pedro 


 Pedro foi um dos primeiros discípulos escolhidos por Jesus. Pedro também é chamado na Bíblia de Cefas, Simeão e Simão. O apóstolo Pedro era irmão do apóstolo André, um pescador como ele. Jonas seu pai também era pescador (Jo 1:42). O apóstolo Pedro era casado, teve sua sogra curada por Jesus citado em Marcos (Mc 1:30). Quando ele se encontrou com Jesus, o Senhor o chamou de Cefas, do aramaico Kefa’, que significa “rocha” ou “pedra”, que em sua forma grega é Petros, ou seja, Pedro (Jo 1:42). Assim significando que Pedro se tornaria firme como uma rocha, ao invés de uma pessoa com temperamento inconstante.  O apóstolo Pedro é bem citado nas escrituras e foi o discípulo que, conforme Jesus havia dito, o negou três vezes antes que o galo cantasse duas vezes, na ocasião que envolve a prisão e crucificação do Senhor. Na verdade essa sua negação contrasta diretamente com o comportamento valente e violento que ele demonstrou ao cortar a orelha de Malco, servo do sumo sacerdote, durante a prisão do Senhor. Diante do olhar de Jesus, ao lembrar-se das palavras do Mestre, Pedro se arrependeu. Jesus tinha uma grande missão, Pedro primeiro Papa, pastor da Igreja, que mesmo com suas fraquezas e limitações, aceitou a grande missão de ser de Deus, discípulo do Senhor, pescador de homens para o Reino.  


                                                                Pe. João Paulo dos Santos CCNA                                                                                                                                    Juciania Araujo CCNA







        



Fonte: Ana Maria Corrêa

Indique a um amigo
 
NEWSLETTER: Informe o seu e-mail para receber as nossas novidades
Contato
  • ESCRITÓRIO

    Avenida Miguel João, 463, Anápolis/GO - Centro

  • (62) 3943-5555


  • Ou

    CEP: 75020-360

  • Dúvidas, críticas e sugestões
  • A sua opnião ajuda a construir um serviço de qualidade. Por isso, envie-nos suas sugestões, críticas e elogios ou dúvidas.

  •  

    Copyright © 2019 Comunidade Católica Nova Aliança. Todos os direitos reservados.